domingo, 28 de Fevereiro de 2010

Feitiço para perder peso – Evocação a Vênus:





Acenda uma vela branca em um quarto totalmente escuro e fale a prece seguinte (você precisa aprender isto de cor antes de você começar)



Evocação a Vênus:



Vênus,



Deusa de Beleza,



Deusa das mulheres,



Deusa do amor,



Eu evoco seu poder



me ajuda,



me faz forte,



me enche de seu poder



me ajuda em meu propósito



ser o melhor



que eu posso ser.







Vênus,



Deusa da Beleza,



Deusa das mulheres,



Deusa do amor,



Eu evoco seu poder



Para me curar,



Para me limpar,



Para me carregar



com vida



e amor da minha vida.







Vênus,



Deusa da Beleza



Deusa das Mulheres,



Deusa do Amor,



Eu a chamo



Para a minha vida



Esteja ao meu lado



Para me proteger



Para me guiar



Para a beleza,



E para o amor.















Olhe na chama de vela e o veja-se no futuro, feliz e viva (que é muito mais importante do que “magra”)







Quando você estiver pronta, apague a vela.







Aqui vem a real magia.







A qualquer hora antes de comer (e se puder), acenda uma vela para Vênus.







Muitas pessoas comem muito e não engordam – é um mistério, realmente.







Deixe o poder de Vênus transformar sua experiência de comer.







Quando você terminar, deixe um bocado pequeno como um oferecimento simbólico e apaga a vela.







Quando você estiver em um lugar onde você não pode acender uma vela, imagine uma tão fortemente em sua mente que você pode ve-la à sua frente.







Passada uma semana, volte a fazer a envocação para ter ainda mais força.

sexta-feira, 19 de Fevereiro de 2010

Reza contra os problemas dos olhos

Reza contra os problemas dos olhos: Esta oração é dirigida à Santa Luzia (ou Santa Lúcia). A jovem viveu por volta do século III d.C. e, segundo a lenda, era filha de uma família italiana abastada, que lhe deu uma sólida formação cristã. Era tanta a sua vocação a Deus que queria dedicar sua vida a Ele. No entanto, o pai da jovem faleceu e a mãe queria vê-la casada com um rapaz de outra família também influente, mas pagã. Há versões diferentes para a história. Algumas contam que quando descobriu que a moça seguia a doutrina de Cristo, o rapaz que era apaixonado por ela a denunciou. Ela foi presa e martirizada. Seus olhos foram arrancados pelos algozes. Outras versões contam que Luzia, apesar de se negar a casar com o pretendente, continuava sendo perseguida pelo rapaz. Numa ocasião, o moço teria dito que o olhar de Luzia o havia enfeitiçado. A própria Luzia teria, então, arrancado os olhos e enviado para o rapaz, mandando dizer que preferia viver cega a quebrar os votos feitos a Deus e que, se eram os olhos que o haviam feito perder, que ficasse com eles.


A oração de Santa Luzia deve ser rezada pelo próprio doente, fazendo o sinal da cruz sobre os olhos, com o polegar da mão direita. Depois de feita a oração, reza-se um Pai-Nosso e uma Ave-Maria:



Vem Santa Luzia,

de noite e de dia,

trazer-me esta luz

dos braços da cruz.

(Fazer o sinal da cruz 3 vezes sobre os olhos)

Se é nuvem de sangue

e de água formada

Pelo Cristo exangue

Será derramada.

(Fazer o sinal da cruz 3 vezes sobre os olhos)

Por Santa Luzia,

Vais ver que esta luz

No céu se produz

(Fazer o sinal da cruz 3 vezes sobre os olhos)

Simpatia para fazer a criança andar

Simpatia para fazer a criança andar: Dona Josefina Maria de Jesus Almeida, Dona Zefina, morava no bairro do Corintinha e era procurada por muitas mães que levavam seus bebês para que ela aplicasse uma simpatia que, segundo se dizia, ajudava a criancinha a perder o medo de andar. Funcionava da seguinte forma: Dona Zefina pegava a criança nos braços e suspendia o bebê sobre um pilão, um pilão grande e simples, dos que se usava para socar café e grãos. Com cuidado, ela baixava e erguia a criança sobre o pilão três vezes, como se a criança fosse o socador, mas com movimentos mais lentos. A simpatia era repetida por três sextas-feiras. Depois do benzimento, dona Zefina colocava a criança no chão e vinha caminhando atrás dela, passando a vassoura pelo piso com o intuito de "cortar" as influências negativas, dizendo: "-O que eu corto?" e a mãe da criança deveria responder: "- O medo". Isso era feito mais três vezes. Dona Zefina era conhecida também como "Vozica" pelos familiares. Muita gente do bairro certamente se lembra dela. Atualmente, o pilão se encontra na casa de parentes de Dona Zefina, no Harmonia. A história é contribuição das famílias Crivelari e Almeida.

Para as mães de recém-nascidos não pegarem friagem

Para as mães de recém-nascidos não pegarem friagem - Novamente lembramosque todas essas receitas caseiras eram adotadas numa época em que era difícil conseguir um médico. Estamos publicando esses relatos pelo seu valor como folclore, não para que ele seja utilizado para fins medicinais, o que pode acarretar até problemas ainda mais sérios, porque não estamos publicando aqui as dosagens que eram utilizadas, nem temos provas de que realmente funcionavam. E também não sabemos se ocorriam efeitos colaterais.


Segundo a tradição, mulheres que haviam dado à luz deviam manter uma dieta por mais ou menos 40 dias. Os antigos temiam que as mulheres "pegassem friagem" durante o período e ficassem doentes. Na época, muitas casas não tinham forro e o piso era de terra batida. Havia umidade dentro das casas de fazenda e o perigo era real. Para prevenir alguma doença causada pela umidade e pelo frio, as mulheres queimavam arruda com açúcar numa caneca de alumínio. Daí jogavam pinga sobre o xarope que se formava e em seguida tomavam a beberagem ainda quente. Isso se repetia pelos 40 dias.

(Contribuição da Sra. Ivone Igarashi, membro da diretoria da Associação dos Poetas, Pintores e Trovadores de Itatiba).

Para curar susto de criança

Para curar susto de criança - Esta é outra versão do benzimento com brasas. Contribuição da senhora Maria Inês Simões Barbosa, da Associação dos Escritores, Pintores, Poetas e Trovadores de Itatiba. Quando uma criança estava assustada, pegava-se uma caneca de ágata. Podia até ser de outro material, mas as benzedeiras preferiam as de ágata. Colocava-se água (temperatura ambiente) dentro dela e jogava-se 3 brasas na água. Logo em seguida colocava-se um prato sobre a boca da caneca e era preciso virá-la de uma vez, como quando queremos desenformar um bolo. A caneca ficava de cabeça para baixo dentro do prato. E a água da caneca não podia ser derramada. Então, para finalizar a simpatia, era preciso fazer uma pequena cruz com palha. A cruz era colocada sobre o fundo da caneca e todo o material era deixado no mesmo lugar por 7 dias. Quando o período terminava, jogava-se a água fora (podia ser no quintal), com brasas encharcadas e tudo.

Benzimento contra a Dor de Cabeça

Benzimento contra a Dor de Cabeça: A benzedeira e a pessoa com dor-de-cabeça deveriam rezar um pai-nosso e uma ave-maria, em seguida, a benzedeira colocava três galhinhos de arruda dentro de um copo de água, que era colocado no topo da cabeça do doente. A benzedeira então dizia: "Com que eu tiro o sol? Com água da fonte, ramo verde do monte." E retirava os galhinho de arruda de dentro do copo, batendo levemente com elas na testa e na cabeça da pessoa. (Contribuição da família Polessi - Bairro da Ponte)

Benzimento contra a Dor de Barriga

Benzimento contra a Dor de Barriga: Esta fórmula era usada principalmente com crianças. A benzedeira fazia o seguinte: Colocava uma das mãos na altura da boca do estômago do doente dizendo "São Martim deitado". Colocava então a mão na cintura do doente continuando a recitar: "Sur la somente, benza teu male". E, finalmente, a benzedeira dizia: "Cura esse ventre", descendo a mão ao ventre do doente. (Contribuição da família Polessi - Bairro da Ponte).